Jacque Leal – My Noisy Shutter

Jacque Leal – My Noisy Shutter

A fotógrafa, Jacque Leal, é de São Paulo capital, mas adotou Sidney, Austrália como cidade para residir. Seu interesse pela arte e pela fotografia despertou desde muito cedo, passou 12 anos atuando como produtora de cinema, mas na fotografia realmente houve uma conexão com a maneira de captar a arte movimento. Desde então, Jacque mantém um compromisso elaborado em oferecer obras que transformam o ambiente. Em 2020, sua fotografia “The Whale” (A Baleia) foi vencedora do “Ted’s World of Imaging Highly Commended Prize” & “Highly Commended Award” para a MonoAwards.

 

Conta um pouquinho sobre seu trabalho para a gente?
Fundei a “My Noisy Shutter” em 2019 na Australia. Após 12 anos atuando como produtora de cinema,  adquiri um profundo conhecimento da arte em movimento. Na fotografia encontrei uma maneira de compartilhar meu amor e paixão; capturar esse movimento – da vida, da natureza e do mundo – em imagens estáticas. O objetivo da “My Noisy Shutter” é oferecer obras de arte que transformam um ambiente. A empresa foi construída com base na crença de que cercar-se de beleza e significado pode ter um impacto real e profundo em nosso humor e em nossas perspectivas. O trabalho é elaborado para evocar emoções positivas, fazer as pessoas pensarem e se sentirem conectadas com a obra. Inspirando-se na natureza, especialmente no oceano, My Noisy Shutter ganhou a reputação de capturar perfeitamente a essência de lugares, cenas e momentos. A tradução do nome significa “Meu Obturador Barulhento” . O obturador é a parte do sistema mecânico de cameras fotográficas que controla a entrada de luz no sensor da camera. Sabe o famoso barulho do clique? Eu brinco que o da minha camera sempre foi barulhento e adoro esse barulho.

 

Fotografia: Acervo Jacque Leal


Como você  entrou nesse universo artístico?
Eu entrei nesse universo porque precisava expressar de forma visual a magia dos lugares que eu conhecia e a energia que aquele momento e aquele local me passavam. Eu sempre fui muito imaginativa e desde criança tentava enxergar as coisas com cores diferentes ou em camera lenta. A fotografia me permite criar dessa forma.

 

Qual é o seu processo de criação?
Eu passo muito tempo na praia observando o oceano pois meu processo de criação envolve estar conectada com a natureza . Por exemplo, eu preciso saber a direção do vento para ter ideia de como uma onda vai quebrar , e a partir dai eu me posiciono . Ou eu observo o tempo do swell, ou quando a maré muda. Também levo em consideração as estações do ano pois até mesmo as cores do céu mudam. A hora do dia em que eu fotografo também influencia completamente na obra. O sol, a lua, a rotação da terra. Eu tento explorar todo o nosso mundo e levar em consideração todas essas forças da natureza.

 

Quais são as suas inspirações?
Muitos artistas servem de inspiração , mas com certeza quem mais me inspira é um fotógrafo Australiano que se chama Eugene Tan. O Eugene fotografa Bondi Beach (a praia que eu moro) todos os dias há mais de 20 anos . Mais de 40 mil pessoas recebem em seus emails diariamente essas fotos e as fotos do Eugene nunca deixam de nos surpreender.

Fotografia: Acervo Jacque Leal

 

Qual é o seu compromisso e suas práticas sustentáveis no momento?
Sim, definitivamente ! Eu amo a Terra e a natureza. É por isso que sempre levei em consideração o meio ambiente ao desenvolver a minha marca. Desde a fita da embalagem até a tinta da caneta de assinatura eu opto por escolher materiais biodegradáveis, atóxicos e reciclados. Também entendo que o transporte marítimo e aéreo são responsáveis por quase 20% do carbono presente na atmosfera, portanto escolhi o Australian Post como nosso courier , eles possuem o certificado de comprometimento com neutralização de emissões de carbono feitas pela empresa.

 

Fotografia: Acervo Jacque Leal


Quais são os maiores desafios para você?
Estou envolvida no processo desde a criação, marketing, web design e parte administrativa. Apesar da impressão e enquadramento serem feitos em laboratório e em parceria com galerias, eu acompanho tudo. O maior desafio é conciliar a vida de empreendedora, fazendo quase tudo sozinha, com a vida de mãe solteira.

 

Possui algum projeto em vista que possa nos adiantar?
Do ponto de vista comercial, tenho planos em focar no mercado brasileiro de Fine Art, eu já comecei a produzir no Brasil e tenho muita vontade de levar aos meus conterrâneos as minhas obras. Estou procurando parcerias no Brasil com arquitetos, designers, outros fotógrafos e galerias . Quando as fronteiras abrirem, pós pandemia eu gostaria muito de fazer uma exposição aí. Do ponto de vista criativo tenho me interessado muito pela fotografia abstrata, pois consigo ter um olhar ainda mais subjetivo, e pretendo trazer novidades nessa area.

 

Você leva arte para dentro da casa das pessoas. Como você é isso para você?
É um grande prazer saber que meus quadros trazem alegria aos ambientes e proporcionam bem-estar às pessoas.

Fotografia: Acervo Jacque Leal

Fotografia: Acervo Jacque Leal

 

Conheça mais o trabalho da Jacque no Instagram e site.

Conhece alguém que pode se interessar por arte? Então compartilhe nossas entrevistas e incentive outros a refletirem sobre o assunto.

No Comments

Post A Comment

Cadastre-se!

Olá! Deixe o seu e-mail para receber conteúdos exclusivos, novidades e descontos.