Luiza Potiens – Ateliê Mentha

Luiza Potiens – Ateliê Mentha

Luiza Potiens, a artista têxtil, do interior de SP, apaixonada pela natureza, traz nas memórias afetivas a habilidade e gosto pelas técnicas artesanais variadas de tecelagem manual com influência contemporânea. À frente do Ateliê Mentha produz em pequena escala delicadas e sinuosas tapeçarias feitas à mão, tendo as lãs e fios de seda como matéria prima principal que resultam em peças que encantam a todos.

Conta um pouquinho sobre a sua trajetória para a gente? Nasci no interior, mas fui pra São Paulo fazer faculdade de fotografia há 12 anos atrás. Trabalhei com produção de foto e vídeos de moda e projetos pessoais por 8 anos. Senti necessidade de me reinventar tanto por falta de identificação com o mercado da Moda, quanto pela desvalorização que os profissionais e o mercado de Fotografia já enfrentava. Continuo sendo apaixonada e inspirada pela fotografia, porém fotografo profissionalmente agora só pra Mentha mesmo! rs


Como você entrou nesse universo do feito a mão?
Comecei a retomar os trabalhos manuais como hobby no fim de 2016, iniciando com macramê, que fazia com amigas quando adolescente. Eram uma maneira de brincar com a minha criatividade sem a cobrança do lado profissional, porém fui gostando muito, estudando mais, aprendendo novas técnicas e desde então me aventurei por encadernação artesanal, macramê, tecelagem manual, tufting, talagarça, ponto russo, entre outras técnicas têxteis que acabam formando o mundo da tapeçaria contemporânea de hoje.

Qual é o processo de criação das suas peças?
Meu processo na maioria das vezes é muito intuitivo e eu não costumo criar desenhos ou rascunhos antes. Muitas vezes sonho ou visualizo uma idéia na cabeça, interrompo o que estou fazendo na hora, vou pro ateliê e não paro até conseguir concretizar – ou adaptar pra realidade hehehe. Já com encomendas, normalmente já partimos de uma referência (em sua maioria, de peças minhas mesmo) e vou desenvolvendo e adaptando as medidas e cores de acordo com os gostos da cliente.

Fotos: acervo Luiza Potiens


Quais são as suas referências e inspirações?
Tenho uma antiga paixão já pela natureza, que influenciava desde meus ensaios pessoais como fotógrafa e continua sendo uma grande energia e influência na minha vida. Recentemente voltei para o interior e estou conseguindo ter mais contato com essa força que sempre me alimentou, porém, mesmo em São Paulo, qualquer raminho nascendo pelo meio do asfalto já me inspirava. A natureza é impressionantemente assim, persistente, encantadora, crua… e alcança a gente onde estivermos se os olhos estão abertos, ainda bem!

Qual é o seu compromisso e suas práticas sustentáveis no momento?
Desde o começo estudo e procuro fazer o possível, dentro da minha realidade, para minimizar os efeitos que o ateliê poderia ter nesse ponto. Fui moldando minhas práticas para quase total reaproveitamento de arremates de fios e materiais usados nas peças. Inclusive, muitas vezes o ponto de partida das minhas criações são cortes de uma outra tapeçaria que acabou de ser finalizada. Hoje também já consegui evoluir as embalagens da loja online para quase nada de plástico (além da fita que prende o destinatário) e utilizo ecopacks de algodão, reaproveitáveis, para peças maiores. Considero esse um assunto de extrema importância, tanto quanto marca quanto pessoa, então estou sempre tentando melhorar meus hábitos e assumir a responsabilidade que temos com e para o nosso planeta.

Foto: acervo Luiza Potiens


Quais são os maiores desafios para você?
Com certeza lidar com o tempo e a urgência do capitalismo, que não combina ou abriga os processos artesanais. Gosto muito dos processos criativos e acho que eles são a grande alma por trás dos produtos artesanais. Luto bastante para mostrar e enfatizar essa parte nas mídias sociais do ateliê, mas principalmente para que todos lembrem que esses processos acontecem por trás da criação de qualquer coisa e qualquer pessoa/artista/profissional, e há muito valor nisso. Gostaria de gritar para o mundo que o grande valor está no esforço e criação da pessoa que está por trás do que você comprou.


Você possui algum projeto em vista que possa nos adiantar?
Com a mudança de cidade, estou finalmente conseguindo me dedicar a projetos mais robustos como os painéis maiores que tenho publicado recentemente, que são o meu principal foco nesse momento. Além disso, estou me dedicando a estudar e me aperfeiçoar em novas técnicas que não conseguia explorar em São Paulo por falta de espaço e tempo.

Você leva arte manual para dentro da casa das pessoas. Como você é isso para você?
É especial demais e uma grande honra. Mais interessante ainda é a união de algo que eu criei, e que ganha outra vida com o ambiente que os outros criaram em suas casas ou espaços.

Foto: acervo Luiza Potiens

 

Foto: acervo Luzia Potiens

 

Conheça mais o trabalho da Luiza no Instagram e site.

Conhece alguém que pode se interessar pela decoração artesanal? Então compartilhe nossas entrevistas e incentive outros a refletirem sobre o assunto.

No Comments

Post A Comment

Cadastre-se!

Olá! Deixe o seu e-mail para receber conteúdos exclusivos, novidades e descontos.